quarta-feira, abril 17, 2013

Ostra feliz não produz pérola - disse uma amiga, parafraseando um livro de Rubem Alves que jazia feliz na prateleira. Acho que é isso, acho que é assim. As histórias tem vindo: grandes, megalomaníacas. Só que tenho lido tão pouco, aferrado na rotina quase diária dos reality shows, sitcoms sem culpa. Já estamos em abril, já passamos a data que completaria uma década destes caracteres soltos nesta rede mundial de computadores. Estou feliz. Felicidade, esta, conquistada com suor e paciência. E a felicidade, infelizmente, não me é muito produtiva. Não me dá vontade de sair da zona de conforto. É daqueles cobertores quentes numa manhã fria, o despertador toca e você puxa, repuxa, querendo não sair nunca mais.

4 comentários:

thaïs saccardi disse...

espero também estar rumo às desinteressâncias ;-)
ficou lindo!

blog do freud disse...

E a felicidade chega de mansinho, como quem chega à porta e dá uma batidinha esperando para ser atendida. Estar feliz talvez seja saber que tudo está certo e que pode mudar, só que para melhor.
:)

Rafael disse...

:)

keila disse...

A pérola é você.
Ostra feliz não faz pérola pq tem brilho próprio ;)