segunda-feira, dezembro 05, 2011

Não custa lembrar: amigo também se demite. Ou termina, vai cada um para um canto encabulado, desgostoso, com o direito automático a um cadinho de mágoa que envenena, mas também salva.

Tem gente que tratamos com amor. Tem gente que tratamos. E tem gente que, sinto muito, já foi. Não se aborreça, às vezes também nem entre muito em detalhes para evitar maiores desapontamentos. Respeite a cerquinha branca, fique ali do seu lado do pasto que é melhor. Relevo, compreendo, até poderia: mas, para falar bem a verdade, tem seu quê de terapêutico dizer uns eu-não-me-importo neste mundo edulcorados de curtições, favoritos e outras superficialidades que não levam a lugar algum.

Nenhum comentário: