quarta-feira, outubro 13, 2010

#6 B&S Is It Wicked Not To Care (The Boy With The Arab Strap)

I know the truth awaits me
But still I hesitate because of fear?


Por mais que sempre tenha acreditado muito em Cazuza, principalmente quando ele canta que "mentiras sinceras me interessam", é a Verdade que me encanta. Talvez isso seja o resquício de minha parca educação católica nos meus seis anos de idade, na crença que ela nos libertaria, independente da dimensão do pecado.

Quando falo em pecado, não que seja daqueles capitais bem óbvios. Digo, sim, do descompasso que havia em se viver algo por comodidade, mesmo sabendo que queria se estar em outro lugar, de outra forma. Na velocidade dos continentes, fui percebendo que não havia muita escolha além. O certo exige certos atos, certas pirotecnias. Exigiria um desapego em colocar em risco todo o conforto daquela rotina que se leva por levar, para colocá-la numa rota estranha sem precisar o que viria.

Nada aconteceu de súbito. Nada se resolveu com um discurso bonito e bem intencionado. Lembro-me das pequenas ações, encadeando pequenos desvios de curso. As mudanças aconteceram lentas e sem muita violência. Quando os rojões estouraram, consegui fingir uma pretensa segurança nos atos, alegando a irreversibilidade dos fatos. Toda a dor foi vindo homeopaticamente, sem provocar necessidades de gás de madrugada ou quedas do décimo primeiro andar dos edifícios.

Hoje, quando vejo que está tudo bem e desenvolvendo em velocidade de cruzeiro, pouco me lembro daqueles dias de dificuldades difusas em se decidir pelo duvidoso, por não aceitar a vida que me cabiam. Hesitava, sim, porque eu tinha medo.

Agora, não tenho mais. Aliás, tenho. E quando tenho, sem muitas hesitações, sempre sei da benção que há em ter agido em benefício próprio, respeitando os próprios limites. Sei, sim, a verdade liberta. Ainda que pese, ainda que nos obrigue a certos atropelos. Mesmo assim, ah sim, liberta.

Um comentário:

Anônimo disse...

....Amém......
;)
But, Cazuza?
C'mon!!!
Hugs!