terça-feira, setembro 28, 2010

Porque não voto em Marina Silva.

Nesta semana, sem votação ou consulta aos moradores, foi instituido que a coleta seletiva de lixo obrigatória no meu condomínio. Bom para o planeta, bom para o universo, não? Pois é, não gostei. Quer dizer: reciclagem de lixo é uma coisa conceiualmente legal e louvável, concordo. O grande problema é a imposição do fato e suas eventuais consequências.

Gosto bastante quando o Luiz Felipe Pondé fala sobre o fascismo verde, a ditadura do politicamente correto. E quando falo de fascismo, não penso na livre associação com Mussolini e Hitler. Digo, sim, no controle impositivo do Estado sobre a população, no 1984 de George Orwell. Das coisas que se impõem pelo propagado ideal de bem-comum.

Vejamos: reciclar o lixo é coletivamente bom, poupa recursos, fornece renda. Eu racionalmente sei que é uma coisa legal. Pensando bem, é justo que me obriguem a realizar algo que, talvez, não faria de forma espontânea. E daí, vamos reciclando o lixo. E, suponhamos, o governo proiba gordura trans. Vejam bem, eu gosto de gordura trans. Mas, pensando bem, gordura trans entope minhas artérias e, desta forma, aumenta meu risco cardiovascular. Morrendo mais cedo, causo prejuízo ao Estado pois sou parte da população economicamente ativa que irá precocemente ao óbito. Desta forma, parece justo que me obriguem a comer alfaces e rúculas, proibam-me de fumar, coloquem-me numa esteira como um hamster por duas horas por dia. Vivendo mais, produzo mais e, assim, é melhor para todos.

Pensando em políticas de saúde pública, é comprovado que a transmissão do HIV é várias vezes aumentada quando o paciente não está em tratamento e com carga viral elevada. E já temos estudos de modelagem matemática que mostram que, se tratássemos toda a população infectada, a longo prazo conseguiríamos erradicar a epidemia. Desta forma, pelo bem coletivo, porque não obrigar a testagem de toda população, impondo que cada paciente seja obrigado a se tratar, talvez até naquele esquema de tratamento supervisionado para garantir a aderência? Assim, erradicando a epidemia, é o melhor para todo mundo...

Não que eu esteja propondo um regime anárquico, onde cada um faz o que quiser. Viver em sociedade exige normas - o que acho válido na discussão é até que ponto estamos sacrificando escolhas individuais como hábitos de vida, sobre nosso livre arbítrio, em troca do politicamente correto. Tenho direito de não reciclar meu lixo? Tenho direito de infartar aos 45 anos em troca de prazeres mundanos? Tenho o direito de ter HIV e não tratar?

Por isso, sempre que vejo um ambientalista ferrenho, esses vegans doutrinadores, esse papinho de crescimento sustentável, acende a luz: está aí um fascista em potencial. Que até pode ter um discurso correto e bem-intencionado dentro do contexto do planeta, de Gaia e todos os seres vivos, mas quase sempre intransigente: pois não há argumentos contra o bem-coletivo. Diga que talvez você não queira reciclar seu lixo e desperte a ira alheia pelo seu individualismo, de fazer parte dessa sociedade em que não se perceba o próximo e mimimi. Se brincar, até bate na sua porta um cara do Greenpeace naqueles barcos que caçam caçadores de baleias.

Desta forma, quando vejo a Marina naquele discurso doce com a Terra Azul rodando atrás, não há como não pensar, ali: fascista. Mas, veja, é bem-intencionada a moça. Só que o fascismo do século XXI é diferente: vão proibir nosso sal, nossos carbohidratos, nosso direito ao sedentarismo. Não que ela faça isso em seu governo, obviamente. Só que coloque um deles no poder e veremos turbas pelas ruas gritando: rúculas, rúculas, rúculas! Já já, esses controles loucos podem até correr o risco de fazer sentido...

Portanto, queridos: não voto na Marina, não reciclo meu lixo e ainda não estou pronto para abrir mão dos meus caprichos auto-destrutivos, ok?

5 comentários:

Gustavo disse...

O fato dela ser creacionista e intolerante (é frontalmente contra união homossexual de qualquer tipo) tb fala contra.

Anônimo disse...

Calm down! Do you really think you could take seriously any of these politicians? Please, Take a deep breath.....and by the way, Welcome to the 21st Century!!!
Of course, dancing,
Abzs.

thais saccardi disse...

take it easy my brother Charlie...numas sutilezas os alvos podem virar meios. Tudo é biográfico.
Muuuito bem escrito, by the way!

Ana Carol disse...

Me sinto menos sozinha agora. :)
Vc já tem meu voto!

Anônimo disse...

You made a few good points there. I did a search about the subject and hardly got any specific details on other websites, but then great to be here, really, thanks.

- Lucas