segunda-feira, setembro 27, 2010

Imperfeição

...não me deixa fazer a barba, nem me deixa cortar o cabelo. Sorri do meu eventual desapego ao sacerdócio, essa capa bonita que nos colocaram antes que nos perguntasse: pode? Diverte-se com minhas negligências estratégicas, meus pequenos desvios de caráter. Não me pede para cortar as unhas, nem reclama do caos da sala ou do barulho de molas do sofá-cama. Elogia a preguiça e a procrastinação. Nestes domingos ensolarados e claros, nem se move dos edredons e travesseiros. Dorme na madrugada alta, muito embora acorde antes que eu. Obriga-me a tomar cerveja depois de um dia difícil, rouba-me um beijo improvável no meio da Augusta e nem se abala com minha procissão de imperfeições.

Nenhum comentário: