domingo, outubro 25, 2009

A carta de boas intenções

Descobri que gosto de procurar a beleza nas imperfeições e acho que isso explica meu fraco por sorrisos assimétricos, um nariz pouco acima da média, uma personalidade caótica. Também gosto do fácil, do morno, bem rasinho: por isso, não sou destes de simulacros, caras e bocas. Não acho que um bom amor tenha necessidade de se cozinhar em horas de ligações não retornadas, intenções sublimadas. A linguagem das epidermes sempre é soberana nestes momentos.

Gosto de pagar pelas coisas o preço que elas realmente merecem. Seria idiota se dissesse que não gosto de luxo & glamour, mas a maioria das minhas melhores noites foram regadas em copos americanos e lugares improváveis. Gosto das coisas pelo que elas são, não por aquilo que aparentam. E se tenho que escolher, sempre escolho o caminho mais simples.

Nasci para viver a noite, principalmente madrugadas altas. Gosto do grunge, gosto da barba sempre a mostra e cabelo em completo desalinho. Gosto de All Star no pé, quanto mais detonado, melhor. Gosto de cerveja e me ganha quem me acompanha nestas noites vazias, numa boemia sem razão de ser. Gosto de cigarro e me encanta que tem aquele jeito solitário de fumar, sob a luz errante das lâmpadas amareladas de sódio.

Gosto de quem é parecido comigo, mas de uma maneira completamente diferente. Gosto de cooperação e cumplicidade, coisa essencial para que dois mundos complementares se encontrem sem terremotos ou tsunamis. Gosto de muitas presenças, de dormir todo dia e as escovas bem juntinhas aqui e ali, mas também tenho aprendido a valorizar pequenas ausências: ter saudade até que é bom, melhor que caminhar vazio...

E se você disser que vem, gosto de ficar preparando a alma um tempinho antes. Gosto de taquicardias, gosto do silêncio que precede o toque da campainha até a porta se abrir. Se chover, gosto de andar devagar sob a chuva torrencial, talvez um abraço apertado para dividir o calor. Quando chego estourado de uma madrugada de trabalho, gosto de deitar de mansinho e um beijo terno antes de me afogar em edredons.

Gosto que cozinhe, gosto de levar ao cinema. Gosto de quem me conduza, sem agressividades, para me salvar das minhas bagunças. Gosto de pegar ao acaso um olhar longo, carregado de significados. Gosto muito de domingos. Gosto muito de gostar. E, acima de tudo, gosto da ilusão de que serei feliz para sempre contigo, ainda que esse sempre seja só por uma noite.

Nenhum comentário: