segunda-feira, dezembro 29, 2008

Rio

"... até a nossa tristeza era mais bela,
e além disso se via na janela
um cantinho de céu
e o Redentor..."


Há coisas que acontecem por arroubo e nunca, nunca devemos negá-las. E esta viagem para Rio veio por linhas tortas, convites indiretos, cara de pau lavada. Originada numa busca de algo que só saberei quando encarar, frente a frente, o mar. Mas vá lá: a ponte aérea está barata, dinheiro existe para ser gasto e as grandes verdades são aquelas que são reveladas quando menos esperamos.

Vou ao Rio guiado pela minha covardia crônica, mesmo sabendo que não irei alcançar a redenção que preciso. Mas vá lá: é Ano Novo e sempre um porre benfazejo em boa companhia tem também sua cota de salvação.

E conhecendo meu espírito, sei que é só chegar nos Santos Dumont pra me derramar num otimismo sincero, ensolarado e cristalino...

Nenhum comentário: