domingo, outubro 12, 2008

Vai Passar

Chico canta: “Vai Passar” e eu acredito. Daí vem Nara e canta umas coisinhas doces, sem peso: e vou deixando me levar. Acredito numa espécie de fé: se permanecer caminhando pela luz tudo irá se resolver. Mesmo sabendo que às vezes este caminho não seja de todo indolor – mas lentamente tudo parece se encaixar.

E por causa disso penso que deve haver algo errado: viver não deveria ser fácil. Tentam me convencer que vivo numa irrealidade otimista e que logo logo virá a vida cobrar o seu preço: desde a cobrança do dinheiro que displicentemente sonego, todas as horas de estudo que estrategicamente negligencio enquanto vou ao cinema, ou percebendo que a consciência dos outros talvez seja muito mais estreita do que se prega.

Dizem que me iludo e me questiono: será? O mundo é tão grande que não acredito que não exista um quinhão para eu ser feliz. Não exijo muito, acho. Decido se vou ao Nordeste mês que vem e me movimento, na medida do possível, enquanto o resto se constrói. E se tudo der errado, sempre existe o fôlego pra recomeçar, não? Ao fundo, Chico ainda repete, tão lindo: Vai passar... E acredito.

Um comentário:

Leonardo R.J.Z. disse...

Olá, gostei muito do texto, parabéns.