terça-feira, junho 24, 2008

Shortcuts aleatórios 2

Seis. Sou um ócio, uma distração - li nas suas entrelinhas, mas se fazer de sonso não exige muito preparo intelectual. Por isso, embarquei sem dó até o profundo da garganta caótica do caos paulistano só para te buscar no Paraíso (o bairro, não a instituição). Lá se foi uma hora a menos de vida entre buzinas e semáforos e pedestres e muito stress. Mas lá cheguei, te levei para casa, conversamos em silêncios longos e palavras medidas. Para perceber que depois de mais de três meses de vagas promessas e protocolos de boas intenções: tanto eu quanto você estávamos ali só para entender um passado comum, juntar as peças perdidas do quebra-cabeça. Necrópsia de sentimentos enterrados, tão somente - que não deram margem a nada além destes beijos mornos, mal-encaixados.

Sete. Sempre que desligo o telefone, ainda o seguro por alguns segundos. Você é doce, irresistivelmente doce. Percebo no seu olhar, nos seus gestos. Na preocupação distraída em deixar a casa em ordem, de me inserir de forma sutil em sua vida. E por mais que eu sorria meio besta enquanto sorrio ao escutar teu sotaque paulistano clássico: revejo Camille Claudel e essas ausências que não consigo explicar.

Oito. Ainda meio trôpego dos drinks que insistia em me dar (seria whisky com guaraná, tão Elis Regina? Não sei...), ainda meio zonzo de te reencontrar nestas conversas longas, tão cheias de curvas e, ao mesmo tempo, tão convergentes... Não, não havia calculado aquilo e agora estava com medo pois sabia que um passo além seriam abrir as comportas ou talvez mergulhar fundo num mar meio tropical cheio de peixes sem saber quão fundo é e de tanto pensar nestas coisas tolas enquanto Você passava do meu lado bati a cabeça na porta e daí você me abraçou longo longo longo até me pedir com mão escorregando na nuca: desculpa e eu não lembro acho que só acenei com a cabeça pra depois te apertar bem forte forte forte...

Oito e meio. "Se existe algum tipo de mágica nesse mundo, deve estar na tentativa de entender alguém compartilhando alguma coisa. É quase impossível conseguir, mas quem se importa? A resposta está na tentativa"
(Antes do Amanhecer)

Nenhum comentário: