terça-feira, maio 06, 2008

Álgido

Aprendi uma palavra com Menalton Braff, num dos melhores contos que já li em minha vida: álgido - que quer dizer muito frio. E lembro disso enquanto contemplo uma Sampa gélida, do alto do décimo andar. Contemplo Sampa imersa por essa atmosfera álgida e dias paradoxalmente tão ensolarados. E parece que, em dias assim, o Sol aprende um jeito diferente de bater nos prédios ao entardecer, tingindo-os e também as nuvens, de um alaranjado mortiço e belo. Sempre distraído, nestes dias, me pego perdendo 10 minutos do meu tempo enquanto observo os momentos derradeiros do final dos dias.



Isto, porque, estes dias gelados e iluminados têm sido bem metafóricos pra mim.



***



E nestes dias tão gelados, quem povoa estas minhas horas vazias é Nara Leão. E não que a música necessariamente se aplique, mas não há como passar ileso quando escuto: "Eu trago o peito tão marcado de lembranças do passado e você sabe a razão". Tenho me cansado destas promessas de amor que se esgelham, para desembocar num nada que nem dói, nem aquece.

Porque sei onde tudo isso vai desembocar: "Todos acham que eu falo demais"...

Nenhum comentário: