quarta-feira, março 05, 2008

Paulistanas 2

Mas não pensem que os últimos dias tem sido apenas de dificuldades - sou eu quem tem uma ingrata mania de sempre focar no que me paralisa ao invés do que me movimenta. E também não pensem que algo de muito novo tenha acontecido nos últimos dias: ocorre, mesmo, é uma mudança de foco.

Depois de Juno, as coisas pareceram menos difíceis, os problemas menores. Nas palavras de Caio F., "eu decidi que sou ótimo" e, por mais que considere que auto-ajuda às vezes mais auto-atrapalha, um pouco de pensamento positivo também não faz mal a ninguém. Ainda mais nestes dias estranhamente ensolarados de Sampa, quando seu primeiro salário (apesar que, para os padrões vigentes, praticamente irrisório) finalmente caiu e as coisas até caminham em velocidade de cruzeiro.

Não que eu esteja bancando a Pollyanna surtada. Lógico que falta um tanto para vida desempacar e, finalmente, correr nos trilhos que deveriam. Mas, enquanto nisso não acontece, vou ao cinema hoje, uma cerveja estratégica de sábado. Uns aniversários, uns planos, uns telefonemas. Assim, devagar e sem pressa.

Como diria Clarice, o telefone só toca quando estamos distraídos. E talvez seja isso o que falte: levar um pouco disso tudo aqui atento - mas com menos seriedade.

Nenhum comentário: