domingo, dezembro 30, 2007

Quase 2008

Kundera diz, mais ou menos, que a vida não tem ensaio e que não há como julgar se uma ação teria sido melhor ou pior. Diz que o ensaio da vida é a própria vida - e, elocubrando, não há porque perder tempo pensando nesses "e se"s.

Tenho relido Kundera e ver "O Amor nos Tempos do Cólera" me deu uma espécie de nostalgia, das boas, dessas coisas inconclusas. E na véspera do Reveillon, dentro desse isolamento meio que voluntário, meio que sacrificado numa possibilidade melhor e em pleno Iraque emocional: só espero que minha escolha, finalmente, tenha sido a acertada.

E vamos indo pra 2008.

Nenhum comentário: