sábado, outubro 20, 2007

Você

Passo mais de mês sem pensar em você, acredita? E só de pensar que antigamente era quase diária a lembrança, daquelas que quase sangravam no tocar do lençol à noite, eu sozinho na minha insônia, meus pesadelos e decepções.

Passo meses sem ter notícias tuas e acho até bom. Vou bambeando nessa rotina morna, meio responsável, agregando pequenas felicidades e grandes significados. Até as lembranças perigosas tipo All Star, Caio Fernando, Paulinho Moska, etc foram sublimadas, isto é, acabei incorporando-as como coisas minhas, coisas boas, coisas que gosto tanto que nem me incomodo de compartilhá-las.

Até que. Até que volto pra esse universo meio em suspenso que costumava de chamar de lar. Volto para a cidade aonde tudo parece estar sempre do jeito que sempre esteve e me assusto. Daí dissimulo, finjo que nem vejo você online, hesito em te buscar nos confins do Orkut. Finjo não tentar interpretar tantas mensagens que tenho certeza que não são pra mim.

Te vejo na rua, tão por acaso que quase te atropelo. Acho bom minha displicência, necessária até, o que não impede do meu coração cair abismos até estatalar em chão rochoso dois passos depois de um cumprimento nada além de educado. E penso, e volto, e revolto, piso e repiso todas minhas frustrações, meu "wait and see" nada providencial, nosso desencontros de ponteiros.

Em quantos castelos construi, mesmo sem saber direito quem você é de verdade e, como te disse numa carta envergonhada, se a pessoa que construi nada mais é que um reflexo tosco de minhas mais doces divagações.

Lembro de Carrie*, naquele penúltimo episódio, quando ela liga para Miranda dizendo que está infeliz em Paris. E, que fique bem claro, não que eu esteja infeliz. Mas quando a coisa aperta, quando me vejo nestes vácuos de pequenas frustrações: é você quem volta.

Não que doa, não que me dê vontade de largar tudo correr ao telefone e talvez até dizer talvez te ame volta volta volta volta.

Às vezes acho que talvez eu devesse. Pelo menos, pra tentar finalmente matar essa sua lembrança que me assombra.

* está num forno um post tipo top 3 SATC. Aguardem, aguardem...

Nenhum comentário: