sexta-feira, outubro 05, 2007

Pequenas ausências

Sabe, é oito e meia da noite, ócio improdutivo no PS, pensei em te ligar. Meio assim, sem propósito, para não quebrar essa nossa rotina de encontros diários, mesmo que breves, ou duas ou três palavras quando isso não é possível. Tá, minto um pouco: te liguei ali pelas duas, você não atendeu - não que isso seja uma cobrança direta, mas sei lá, talvez tivesse algo de errado, talvez aconteceu alguma coisa e você está precisando de mim, não sei.

Ligo sem muito remorso, nada daqueles segundos infinitos de telefone suando na ponta dos dedos de hesitação de será-que-devo. Você me conta um pouco do seu dia difícil: problemas com gerente, cliente, pequenas atribulações, por isso nem atendi, desculpa desculpa. Eu digo um pouco do meu dia fácil: ninguém apareceu, dei faxina em casa, dormi um bocado, pensei um tanto em você. Sorrio, imaginando que você está sorrindo. Sabe, é estranho não se ver. Eu sei, é mesmo, coisas assim muito sem propósito. Amanhã nos vemos, tipo pizza filme pipoca né? Volto para minhas grávidas, você para sua TV. Tchau, tchau.

Passa uma hora, episódio final de novela e meio que Brasil inteiro com coração na mão. Você me liga no intervalo pra não atrapalhar, mas nem estava propriamente assistindo. Você me diz que a casa está vazia demais, sua colega de quarto viajou e está só você, a TV e essa solidão monstra. Queria escutar sua voz de novo, você faz falta, eu concordo emendando várias outras coisas tipo nunca senti nada assim e fico com medo dessa forma que você me trata porque nada nada nada deu certo pra mim até hoje e fico receoso quando tanta coisa boa chega num pacote só.

Até que ficamos em silêncio, meio constrangidos. Falo boa noite, pensa em mim, vai dormir pra descansar que você precisa. Você responde: tô torcendo pra chover e espantar todas as grávidas, mas nem vai dar nada, quando acordar me liga. Hesitamos nas saudades, mas acabamos falando - meio brega, clichê, mas enfim: não está tudo já perdido mesmo?

E destas pequenas ausências que vou construindo grandes significados.

Nenhum comentário: