quarta-feira, setembro 26, 2007

96 dias e contando...

Eu tinha noção do fim iminente, mas nunca ele havia se materializado num número. Principalmente um que não fosse de três dígitos, um que fosse tão próximo, um que desse essa impressão incômoda de "logo ali".

O fato é que, depois de tantas peripécias e sentimentos desencontrados, faltam menos de 100 dias para o encerramento deste ciclo. E a grande ironia é que esse momento aconteça bem quando, para mim, estou no melhor momento desta fase.

Quem me acompanha de perto sabe que minha relação com Uberlândia, a faculdade e as pessoas que me cercam por aqui sempre foram um tanto contraditórias. Que não foram poucas as vezes que quis desaparecer, vender cocos no Taiti, mudar de mala e cuia para Ribeirão, fugir para Europa ou coisa parecida. Mas agora, hoje, dentro de tudo que consegui construir nesses últimos meses, a única coisa que quero e penso é ficar.

Tenho certeza de que construi o universo mais belo, na medida das concessões que me permiti fazer e dentro dele me sinto seguro e satisfeito. Tenho certeza de que a vida que sempre quis não está do jeito que deveria, mas pelo menos está no caminho de. Tenho certeza de que guardarei a lembrança mais terna destes dias cáusticos e ensolarados.

E o que me frustra, quase diariamente, é que tudo isto terminará nestes malditos 96 dias. Obviamente que cada coisa permanecerá da sua maneira, mas não de uma forma única e próxima, tão impregnada no meu cotidiano como foi ontem, é hoje, será amanhã.

O nonagésimo sétimo dia é um vácuo, uma escuridão, um abismo fundo de não saber o que encontrar ou o que vai permanecer. Não estou preparado para abrir mão de tanta coisa que me faz bem, faz-me sorrir gratuitamente e me reúne coragem para finalmente resolver algumas decisões críticas em minha vida.

E esse passar lento dos dias, pingando cada vez mais próximo do último, será doloroso por saber que cada dia é um dia a menos, dentro de tanta coisa que eu gostaria de fazer. Mas não contarei isso a ninguém - exibirei meu sorriso mais brilhante, numa felicidade aparente pelo objetivo cumprido, enquanto fico meia hora insone antes de dormir, rolando na cama, pensando no que farei quando o último dia chegar...

Nenhum comentário: