terça-feira, agosto 14, 2007

# 2/2 - Razão e Emoção

Eu gostaria de lhe dizer que nem sempre o que racionalmente escolhemos é o que emocionalmente damos conta de botar em prática. E que quatro latas de cerveja mais uma caipirinha não é desculpa para ser cruel, mas acontece, aconteceu, apesar de todas as minhas melhores intenções.

Eu gostaria de lhe dizer que funcionávamos perfeitamente na teoria, mas como naquelas ironias gigantes, na prática a coisa não se encaixava. Bote a culpa em mim: essa perspectiva do fim, esses últimos dois meses de virar a cabeça e torcer o coração. Essa certeza tão incerta que o que reserva além destes cinco meses é bruma, é escuro e toda essa história tá me deixando num medo imenso.

Eu gostaria de lhe dizer que, de você, guardo comigo uma lembrança tão doce, porque é difícil de te explicar: como eu aprendi. Como você me fez enxergar meus erros crônicos nestes meus últimos relacionamentos malfadados, como eu poderia ter agido de tantas outras formas para conseguir o que eu queria.

Eu gostaria de lhe dizer que guardo todos os meus amores, mesmo passados, mesmo infelizes, mesmo nestes tristes fins, na prateleira mais linda. Porque cada um é dotado de uma pequena especificidade, aquela pequena característica que o faz único de todo resto. E assim, quando estou tão triste e sozinho e carente e solitário, recolho cada um, colocando por entre estes meus dedos longos e acaricio - lembrando como era bom, como é bom essa sensação magnética de estar dentro de algo: e se bastar.

****

Devido uma falta crônica de tempo / computador, todos os meus post estão com um pequeno delay entre o acontecimento e o "escrevimento". Portanto: paciência...

Nenhum comentário: