sábado, outubro 08, 2005

Latinidade

Queria ser dono de uma civilidade britânica. Ter na alma cravada aquela neutralidade escandinava, sem culpa. A liberdade holandesa de pensamento, onde tudo vale enquanto estamos dentro do nosso espaço sem encher o saco de ninguém.

De europeu, devo ter uns genezinhos perdidos e olhe lá.

Não quero apenas cordialidades com banalidades e adeus. Encimar o muro, "por uma sociedade mais tranquila". Preferiria ver sangue, explosões passionais, escândalos sinceros, lágrimas verdadeiras, argumentos dolorosos escorrendo pelos cortes. Gosto de luz naquilo que é polêmico. Ainda que eu perca, esteja errado. Se te odeio, porque não dizer? Se te odeio (mas ainda tenho um tesãozinho reprimido), porque não pendurar em seu pescoço e te odiar cinco minutos mais tarde? Se você foi sarcástica/irônica/mal-educada, porque não pagar na mesma moeda?

Porque essa necessidade pequeno-burguesa de perdoar os erros só porque "é edificante"?

Acho que eu até poderia (tentar) responder estas perguntas, pois ainda sou um praticante do "meio campo" social, com muito estilo diga-se de passagem.

Mas é um posicionamento insustentável. Até quando vou ser civilizado? Até quando conseguirei omitir os gritos?

Nenhum comentário: