terça-feira, setembro 20, 2005

In Bloom

Minhas amígdalas travam um duelo implacável com meu corpo há três dias. Nada de grave, nada que mate. Umas febres, umas dores, umas indiposições, só. E enquanto a batalha não se resolve, fico aqui, contemplando o mundo.

Voltei para casa e estar em casa é bom. Mimado e bem tratado, enquanto observo o balé cotidiano da minha família que há muito tempo não era espectador. Numa passividade tranqüila e otimista.

Talvez amanhã eu finalmente saia de casa, se as amígdalas permitirem. Talvez um livro na biblioteca, um DVD da locadora, um filme no cinema. Solitário, mas a solidão é algo que nem de longe me incomoda. Só esperando o final de semana. Só esperando a primavera que chega amanhã. E que ela leve todo ranço dos amores que morreram no criado-mudo por falta d'água, as perdições, as incertezas, os sentimentos desperdiçados, as navalhas inconscientes.

Só esperando, distraidamente (como se deve ser), outra nesga, outro estalo para correr atrás...

Nenhum comentário: