quinta-feira, julho 21, 2005

Anotações durante um forró

Não me perguntem: esse é o tipo de pensamento que chega sem aviso e sem se perceber, ali pelo décimo terceiro ou décimo quarto copo de cerveja, como a brisa gelada do inverno francano caprichosamente vencendo as paredes e toldos. Com o cérebro encharcado de álcool, você não se apega a pequenas racionalidades, essas preocupações mesquinhas habituais que tanto ocupam nosso pobre tempo numa terça ou quarta feira.

Talvez, se os bons ventos soprarem à favor, minha vida finalmente possa se explodir num Carnaval. Talvez, no mais simples esforço de manter o atual status quo, as melhores epifanias dos últimos vinte anos aconteçam. Talvez, se eu tirar todo o amargor decorrente de incompreensões sucessivas, perceba que a maioria das pessoas ainda continuam ali, lindas e brilhantes na essência.

Talvez, eu só queira voar*. E eu não sei para qual lado o vento vai soprar**...

(* Live Forever - Oasis // ** Kite - U2)

Nenhum comentário: