terça-feira, junho 14, 2005

Por assumir uma tarefa hercúlea

Uma das poucas coisas prestáveis que um professor peruano meu, com um sotaque portunhol terrível, falou foi: "Deus me livre das águas calmas, pois das bravas me livro eu!". Depois de pensar a beça, refletir sobre a existência e minhas capacidades, decidi mergulhar de cabeça em uma missão impossível.

Não que ela seja impossível - somente muito difícil. Mas tenho todas as armas possíveis em minhas mãos e o apoio (e torcida) de todas as pessoas queridas que me cercam. Estou suficientemente motivado para sacrificar tudo aquilo que não for essencial (e algumas outras essencialidades que não vem ao caso) para realocar tempo e esforço.

Talvez porque eu goste demais de insistir naquilo que parece perdido. Talvez porque eu seja bem teimoso. Talvez porque eu seja osso duro de roer mesmo.

Como diriam os romanos: Alea jacta est!

Nenhum comentário: