terça-feira, junho 28, 2005

A mesma praça, o mesmo banco...

Pois é. Os bancos da praça mudaram, os da Cultura também. Mas a gente continua os mesmos: as mesmas preocupações, inseguranças, desejos. Meio assim, perdidos na vida. Estava pensando nisso quando visitei a Cultura, na semana retrasada, enquanto os pobres alunos sofriam com o FCE. É engraçado que faz tanto tempo e parece que foi há tão pouco...

A gente vai levando a vida, como pode, aos trancos e barrancos. Mas vai levando. E mesmo sem aquela convivência diária (ou mensal, nessa altura do campeonato), curioso como ainda mantemos a sintonia. Como, quando nos encontramos, parece que tudo está no mesmo lugar, que nem há poeira cobrindo a sala que ficou por um tempo fechada. "We never change", disse o Chris Martin. E é verdade.

De tudo, espero que as coisas nunca mudem. E sei que não vão mudar. A você, ofereço minha amizade incondicional que tantas vezes já foi posta à prova. E que continuemos assim.

Feliz aniversário, Leo.

Nenhum comentário: