terça-feira, abril 19, 2005

Projeções românticas

Tinha tudo para ser um final de semana estressante. Piruetas de recém-nascidos, sinais e sintomas absurdos. Mas fui liberto com um telefonema: a prova de Clínica foi transferida para o próxima semana (pós-feriado, mas enfim) e daí declarei-me livre de qualquer preocupação acadêmica.

Assisti Os Sonhadores, do Bertolucci. Tomei cerveja com abobrinha frita na manteiga. Assisti ao maravilhoso DVD Fans Only, do Belle. Acordei tarde, lá pelo meio-dia. E, para finalizar, assisti Antes do Amanhecer, na TNT.

Antes de Amanhecer é um filme fantástico, pelo seu roteiro simples e tão realista. São inúmeras as cenas em que você pára e pensa: nossa, eu também acho isso ou nossa, eu também passei por isso ou nossa, porque eu não pensei nisso antes?. Sem contar as tais projeções românticas:

"É só que as pessoas têm essas projeções românticas que elas colocam em tudo. Você sabe, isso não é baseado em nenhum tipo de realidade".
(Antes do Amanhecer)

E disso eu sei muito bem. Sempre foi assim comigo, vivendo de projeções. Desde a sétima série até agora, quarto-ano-de-faculdade-supostamente-adulto. Eu não resisto à tentação de, ao menor sinalização de possibilidade, fazer planos enormes e sinceros.

Não que isso seja de todo mal. É até agradável, em algumas horas do dia. Mas quando vejo Jesse e Celine, juntos mas na iminencia da separação, no melhor estilo Vinícius de Moraes, ah... que vontade de jogar tudo para o alto e colocar os velhos planos em prática.

Pegar o primeiro ônibus sem medo do não.

Mas esse feriado...

Nenhum comentário: