sexta-feira, fevereiro 04, 2005

Gabriel battles the Black Cloud

"O que ficou para trás, ficou, não interessa. Recolher os despojos do naufágio e deles fazer um barquinho, sair remando"
(O Encontro Marcado - Fernando Sabino)

"Those evil-natured robots
they're programmed to destroy us
she's gotta be strong to fight them
so she's taking lots of vitamins"

(Yoshimi battles the pink robots - Flaming Lips)

Poderia dedicar um, dois, três posts sobre o desastre (pessoal e intransferível) que a viagem para Florianópolis transformou. Em como as pessoas são baixas e anti-éticas, em como as pessoas são covardes e sem capacidade de visão além de seu próprio umbigo.

Mas não vale a pena. Primeiro, porque não se há mais o que fazer, além de dançar um tango argentino - o estrago já está bem, muito bem, feito. Segundo porque, quando a Nuvem Negra se aproxima, não há Cristo que endireite as coisas. Ela provoca uma sucessão de fatos murphyanos e, a única coisa que se sobra para fazer, é esperar pacientemente.

Enquanto isso, dedico-me a outras coisas: jogos de tabuleiro, video game, miudezas da vida. Coisas essenciais, mas que acabam ficando em segundo plano quando não se presta muita atenção à elas. O importante é manter-se ocupado com coisas agradáveis, ao alcance do seu controle e das mãos. Nem pensar muito nisso, esperando que a vida retorne aos eixos habituais.

E nada de perder o otimismo e descambar para uma espiral depressiva e subjugante. Agora é só recomeçar do zero, deixar os feridos pela tempestade pelo caminho e prosseguir. Indefinidamente. Até que.

Nenhum comentário: