terça-feira, fevereiro 22, 2005

"Andorinha lá fora está dizendo:
Passei o dia à toa à toa"

(Manuel Bandeira)

E eu digo: eu também. Eu confesso que não resisti à tentação do ócio, desses irrestritos e impertinentes. Deixei todas as coisas em stand by e fui lá viver, coisas simples e pequenas.

E as tardes de verão se seguiram, e agora o horário mudou.

E agora as chuvas de março já vem, para fechar o verão e todo um ciclo de experiências repaginadas que eu assumi, de peito tão aberto e cara tão lavada.

E no final das contas, tudo deu certo. Ou vagarosamente vão entrar nos lugares, mesmo que não sejam os corretos, ao menos são sustentáveis.

E a nostalgia fica sim, apertando na garganta, embaçando os olhos. Os laços importantes foram estreitados, a cumplicidade não necessita mais que olhares, como uma benção.

E andorinha, também te digo: foram dias memoráveis. Mas a vida, essa não vou deixar passar - para manter tudo isso vivo, aqui dentro, é preciso muito mais esforço que meramente deixar-se vencer pela mornidão do ócio...

Post conjunto com o Sete Faces

Nenhum comentário: