quinta-feira, janeiro 13, 2005

Quem sabe

Um dos enforques dados nesse primeiro semestre na matéria de IERI(introduçao ao Estudo das Relações Internacionais) foi a antítese entre Utopia X Realidade. O parâmetro no qual tal antítese foi analisado era no de criação de uma ciência, todavia, acredito que choque entre utopia e realidade também se dá na vida das pessoas.

No começo tudo é utópico, tudo é sonho, tudo é possível. A criança quando nuca foi à praia sonha de como será a praia e com a possibilidade de haver lá um tubarão “bem grande que come gente”, a mesma ainda espera por Papai Noel, o(a) adolescente esperando pelo primeiro beijo, o primeiro amor, a primeira vez, o passar no vestibular, o primeiro emprego.

O tempo passa e chega então o impacto do realismo, A realidade joga uma pedra na vidraça de expectativas que rodeavam os nossos sonhos. Papai Noel foi uma invenção do capitalismo, tubarões não atacam gente tento assim, o homem do saco não vai te pegar, beijos passam a ser só beijos, amores só amores, num ciclo quase infinito que leva os Homens a se tornarem cada vez mais matéria bruta destinada a alimentar outras formas de vida no ciclo da cadeia alimentar.

Há sempre aqueles que se prendem na torre de ametista que é o mundo utópico. Pessoas que levantam todo da com a crença de que o dia de hoje será melhor, que crêem em Deus e no mundo, que vivem para os seus sonhos de querer ser sonhos.

Em contra partida existem aqueles, e estes se encontram a cada dia mais numerosos, que apenas respiram, autômatos, para seguirem a rotina de seus dias burocráticos. Existir somente é a meta final destes homens ciborgues, trabalho, casa, cama, trabalho, casa, cama..., numa vida racionalista , apagada, quase morta, sem qualquer tipo de expectativa além da certeza de continuar trabalhando, indo para casa, pagando as contas, numa insignificância que chega a doer.

Um cigarro tragado rapidamente, mais uma dose para ser engolida às vésperas da sede esperar pelo carnaval. Pensar que no Ano Novo vai ter dinheiro no bolso e saúde pra dar e vender. Talvez amar, quem sabe? O correto é saber misturar sonho com a realidade, levar a vida sem muitas expectativas mas com algum tipo de esperança salvadora latente. Saber que andar na chuva faz mal pro corpo e que se pode pegar um resfriado, mas os mesmos pingos gelados de água vinda do céu também são aqueles que lavam a alma dos pecados e da tristeza vinda dos sonhos despedaçados.

Nenhum comentário: