sexta-feira, janeiro 14, 2005

Just shoot me

Get me away from here, I'm dying...

Depois de tanto Sol em Brasilia, trancafiar-se por uma semana em casa de parentes, no interior do Estado de Sao Paulo, eh por demais cruel. Perdi o jeito de ser aqui. Nao que eu os odeie - muito pelo contrario, devoto-lhes grande carinho. Nao que seja alguem relapso com a familia. Mas por aqui, eu so sou tipificacao. Sou um punhado de estereotipos que as pessoas esperam que eu seja. Sou o "menino exemplar que faz Medicina". Sou o "primo grande que a-do-ra criancas". Sou o "sobrinho crescido que bebe e fode, olha so que gracinha". Gasta energia demais sair desse padrao: falar que a faculdade, por ora, esta bem decepcionante, minha paciencia com criancas esgotou faz tempo, que eu tenho direito a minha privacidade. Fico sendo o que querem de mim. Eles ficam felizes, eu saio pela tangente e tudo fica muito bem tambem.

Ou nao tao bem assim, obviamente. Por que se existe algo que nao suporto mais eh passar por alguma coisa que nao sou verdadeiramente. Mas enfim. Sao males necessarios. Os danos colaterais, pelo menos, sustentaveis a longo prazo.

"... play me a song to set me free"

Nenhum comentário: