quarta-feira, abril 14, 2004

"Eu quero saber a verdade e você se preocupa em não se machucar"
(Paulinho Moska)

Sei que não sou altruísta, mas pelo menos estou tentando. Vim dessa vez sem qualquer outra intenção a não ser te escutar, olhar nos olhos, esforçando em ser compreensivo. E você continua dentro de seu castelo, cercado de muralhas, fossos de jacarés. Véu nos olhos, só para me confundir: e confundir os outros, todo mundo. Você adora confundir todo mundo.

Você diz que ninguém te entende, mas nunca deixa ninguém te entender. Eu me esforço, juro. Mas você não deixa ninguém aproximar. Nem começar a falar. Você abaixa os olhos, finge que não é com você. Nunca é com você, não é?

Estou cansado disso. Você quer se preservar, eu até entendo. Mas pelo menos não fique pedindo ajuda quando viro as costas. Agora é assim: quer se foder, foda-se. Quer se perder, perca-se, com gosto. Detalhe: bem longe de mim. E não adianta depois vir correndo para contar as coisas, fragmentadas, dentro do seu maravilhoso castelo...

Post conjunto com o Sete Faces

Nenhum comentário: